No escuro do quarto tão só
Eu sinto um sopro qualquer
Será que isso vem de você?
Eu me rendo ao que você quiser

Se o amor toma conta de mim
Porque eu não me sinto no céu?
Me perdi, já não vejo sinais
Ou interpretei algum papel

Ainda sinto aquele arrepio
É o mesmo de tempos atrás
Dos meus olhos saem feito um rio
Essas lágrimas que imploram sinais
Não há medo e se não faz sentido
Sua presença é forte demais
Mesmo com esse coração partido
Você me ama além da vida e dos “ás”
Vejo sinais, vejo sinais

Não há o que decidir
Eu deixei tanta dores pra trás
Ao meu ver já me fez tanto mal
Esses olhos precisam de paz

Se o amor toma conta de mim
Porque eu não me sinto no céu?
Se eu me vejo como num filme
Será que eu sei o seu papel?

Ainda sinto aquele arrepio
É o mesmo de tempos atrás
Dos meus olhos saem feito um rio
Essas lágrimas que imploram sinais
Não há medo e se não faz sentido
Sua presença é forte demais
Mesmo com esse coração partido
Você me ama além da vida e dos “ás”
Vejo sinais, vejo sinais, vejo sinais,
Vejo sinais, vejo sinais

No escuro do quarto tão só
Eu sinto um sopro qualquer
Será que isso vem de você?
Eu me rendo ao que você quiser

Ainda sinto aquele arrepio
É o mesmo de tempos atrás
Dos meus olhos saem feito um rio
Essas lágrimas que imploram sinais
Não há medo e se não faz sentido
Sua presença é forte demais
Mesmo com esse coração partido
Você me ama além da vida e dos “ás”
Vejo sinais, vejo sinais, vejo sinais,
Vejo sinais, vejo sinais
publicidade
publicidade