Chico César

Da Taça / Onde Estará o Meu Amor / Diana (Ao Vivo)

Chico César

Da taça que você bebeu, bebi eu sozinho
E o vinho escorreu, com gosto do seu batom
Tão bom bateu a porta mas nem fui abrir
Ninguém vem, suponho é um sonho meu

E a ponta que você deixou fumei
Bateu saudade quando dei por mim
Tava a fim, desejo dos beijinhos seus
Do lance de dançar sem som tão bom, bateu

O sangue, a porta, a campainha
Molhada na chuva chamando meu nome
Eu abro os braços, porta tudo
A boca, mas fico mudo pois você some (bis)

Da taça que você bebeu, bebi eu sozinho
E o vinho escorreu, com gosto do seu batom
Tão bom bateu a porta mas nem fui abrir
Ninguém vem, suponho é um sonho meu

E a ponta que você deixou fumei
Bateu saudade quando dei por mim
Tava a fim, desejo dos beijinhos seus
Do lance de dançar sem som tão bom, bateu

O sangue, a porta, a campainha
Molhada na chuva chamando meu nome
Eu abro os braços, porta tudo
A boca, mas fico mudo pois você some (bis)

Como esta noite findará
E o sol então rebrilhará
Estou pensando em você...
Onde estará o meu amor ?

Será que vela como eu ?
Será que chama como eu ?
Será que pergunta por mim ?
Onde estará o meu amor ?

Se a voz da noite responder
Onde estou eu, onde está você
Que estamos cá dentro de nós
Sós...

Se a voz da noite silenciar
Raio de sol vai me levar
Raio de sol vai me trazer
Onde estará o meu amor ?

Não te esqueças, meu amor
Que quem mais te amou fui eu
Sempre foi o teu calor
Que minha alma aqueceu
E num sonho para dois
Viveremos a cantar
A Cantar o amor, Diana

Se a voz da noite responder
Onde estou eu, onde está você
Que estamos cá dentro de nós
Sós...

Se a voz da noite silenciar
Raio de sol vai me levar
Raio de sol vai me trazer
Onde estará o meu amor ?...
publicidade