Cezar e Paulinho

Tango Do Adeus

Cezar e Paulinho

Enquanto o cantor estava em programa
A esposa o traía com outro em seu lar
Nos braços do amante ainda sorria
Ouvindo no rádio o esposo cantar
E por coincidência quando ela o enganava
Ele interpretava o tango do adeus
Em cujas palavras os versos sentidos
Tinha semelhança os destinos seus

Adeus amor, os olhos meus
Chorando estão, por saber que esse,
É o tango do adeus!

Até que disseram pra ele a verdade
E o cantor traido de ódio chorou
Pra surpreender a esposa em flagrante
Um dia o programa gravado deixou
Voltando pra casa encontrou a esposa
Nos braços do amante viu que era o fim
Com ódio ouviu no rádio ligado
O tango do adeus dizendo assim:

Adeus amor, os olhos meus
Chorando estão por saber que esse,
É o tango do adeus!

Sacando o revólver apenas dois tiros
O negro silêncio da noite quebrou
Dois corpos sem vidas tombaram abraçados
O cantor traído assim se vingou
Fugiu escutando o tango sentido
No rádio ligado que ele esqueceu
Pela noite à fora a brisa trazia
Até seus ouvidos o tango do adeus

Adeus amor, os olhos meus
Chorando estão por saber que esse
É o tango... do adeus!
publicidade