Cezar e Paulinho

Belezas Do Sertão

Cezar e Paulinho

Oi lê, oi lá
No sertão como é bonito ver o dia clarear
No terreiro o galo canta, canta e canta
Sem parar

O sol vai despontando clareando a serrania
Ouve-se mugir do gado que lindo é o romper do dia
Os pássaros cantando em sublime sinfonia

Oi lê, oi lá
Sertanejo quando canta faz até pedra chorar
No ponteio da viola seus queixumes vai cantar

As belezas dessa terra não se vê em outro lugar
Nossos rios e cachoeiras tem a serra e o luar
No sertão como é bonito ver o dia clarear

Oi lê, oi lá
Desse versos faço hino do cabloco a saudar
Que ao cantar vai descrevendo as belezas do lugar

Oi lê, oi lá
Sertanejo quando canta faz até pedra chorar
No ponteio da viola seus queixumes vai cantar

Sertanejo quando canta faz até pedra chorar
No ponteio da viola seus queixumes vai cantar.





publicidade