Hoje tem baile ali no salão da vila
Pois nem que me falte uns pila
Me acarancho no entreveiro
Bombacha larga e lenço atado a meia espalda
Como quem vai sacar as balda
De um redomão caborteiro...

Saí das casa pensando ajeitar o futuro
E então morrer seguro
Nos braços de alguma dona
Sei que esta noite a trova vai ser de pua
No ouvido desta xirua numa vaneira chorona
Sei que esta noite a trova vai ser de pua
No ouvido desta xirua numa vaneira chorona
Sei que esta noite a trova vai ser de pua
No ouvido desta xirua numa vaneira chorona...

Cheguei cedito, fiquei até assombrado
Com tanto corpo ajeitado se passeando na minha frente
Que me perdoem meu jeitão indelicado
É que o cheiro do pecado mexe com o instinto da gente!

Deixa pra mim
Deixa pra mim
A pior dessas percantas paisano
Deixa pra mim...

Saltei carcando gostando da brincadeira
Pra bailar a noite inteira daí que fica bem bom
Gritei na copa: "Me bote um copo de vinho,
Que o paraíso é pertinho, pintadinho de batom"
Cruzei do ponto, fui misturando as bebida
Me topei com uma querida deixada de um castelhano
Morena linda, cabelo pela cintura,
De corpo uma formosura, mas de cara um brigadiano
Morena linda, cabelo pela cintura,
De corpo uma formosura, mas de cara um brigadiano...

É bem verdade, já diz o velho ditado,
Que o índio quando enxaguado age que nem uma mula
Quando acordei, reparei que é bem assim
Sobrou a pior pra mim, menos mal foi só por fula...

Deixa pra mim
Deixa pra mim
A pior dessas percantas paisano
Deixa pra mim...
publicidade
publicidade