Vibre o bronze de Santana
Sol das onze sobre o teu
Quase cobre que descobre
Que é o meu amor
Que emana desse céu
Tua pele é o cobreado
Da Bahia de nós dois
Grei de escravizados e opressores
Reis do estado que virá depois

Ó mulher de tez nobre
Toma tudo e me tem
Sobre teu bronze-cobre quem não vem?
Temos tudo tando juntos
Tanto teremos no amém
Ó mulher de tez nobre, toma e bem

Ter te visto tão de perto
E talvez voltar a ver
Prova que está tudo certo
Vale ter vivido
Vale estar vivendo aqui
Vale viver
publicidade
publicidade