foto

Prova Pro Povo

Cabal

Inocente, senhor juiz
Porque Ritmo e Poesia com amor eu fiz
Eu juro, falo a verdade pro júri
O meu nome tá nos muros da cidade, procure
Mas humildade é tudo, então eu calço a sandália
Subo no palco e derrubo o falso na batalha
Estilo "Racional", o Cabal não falha
Canalha, meu microfone é minha navalha
Comecei com um som universal
Depois assinei contrato com a Universal
Não é gangster, não é under, nem é comercial
Se você quer rotular, então é Rap Nacional
Mestre de Cerimônia no espírito
Fazer o que eu faço, me fez lírico
Escutei Thaíde, estudei Marcelo D2
Então escuta o som e bate o martelo depois

(REFRÃO)
Provo pro povo, pra quem quer me julgar porque eu nasci
Loirinho com o olho verdinho
Bem vindo ao banco dos réus (3X)
Loirinho com o olho verdinho
Vem cá juiz...

Isso memo, antes do disco fiz o demo (mixtape)
Agora o disco é "procurado tipo Nemo"
Se tem um porque, é pra fazer história
E se eu vencer, é porque era pra ser vitória
Entre leões, entro na cova e me movo
Dentro do jogo, "PROfissional" inova de novo
Do Cabal, música nova pro povo
Sem dúvida, essa música prova pro povo
Que C4 explode, então é bom parar
Flow por flow, show por show, você pode comparar
Sangue bom, vamo que vamo, não pode o som parar
No seu telefone, seu Ipod, o meu som tá lá
Derrubo a casa e saio dos escombros
Tranquilo, tirando a sujeira dos meus ombros
Com "Fúria de Titãs", tipo SP Funk
Estaciona a van que a gente desce de tanque

(REFRÃO)

Olha nos meus olhos verdes, na moral, você vai ver que
O que eu to fazendo é real e é pra sempre
Não to brincando, cheguei, já fui ficando
E quando eu vi, já tava no palco rimando
Levando o som que hoje em qualquer loja você acha
Compra pirata, se você gosta, você baixa
Ouve cada letra, cada bumbo, cada caixa
Pra me julgar, primeiro ouve cada faixa
publicidade