Atitude 67

A Cidade Mais Incrível De Morar

Atitude 67

Eu vim de fora, caipirão do mato
Levei na bagagem uma pá de coragem e uma grande chance de dar errado
Eu não entendi quando eu cheguei em São Paulo
Não tem pé descalço, mas tem guarda-chuva e
“Porra, truta, não esquece o casaco”

Aí um dia assim sem esperar
Um “brother” me chamou pro “bang”, eu disse “vamos já”
Quis me apresentar você, pedi pra apresentar
Saímos na noite seguinte e eu não queria mais parar

Você me levava pra umas “festa” estranha, com uma gente estranha
Onde eu não tinha nada além das manhas
Falei com seus “brother”, toquei meu pagode, eu me diverti
Você só ficou meio “noiada” quando eu conversava com as suas amigas

O lance é que eu tenho foco, eu não me empolgo
A minha escola na avenida é bloco a bloco
Eu tô aqui e o que é que tem demais
Se eu não tenho nada pra fazer o dia inteiro você me faz

Me faz acreditar, que eu tô na cidade mais incrível de morar
Me faz acreditar, que eu tô na cidade mais incrível de morar
Me faz acreditar, que eu tô na cidade mais incrível de morar
Me faz acreditar, que eu tô na cidade mais incrível de morar
publicidade