foto

Não Há Muito o Que Fazer

Almério

Quando o roteiro perde a graça
E a vida chata
Abre as cortinas e escancara o que é real
Você procura em tudo e não acha em nada
E a graça perde espaço pra depreciação

Quando a dor é profunda
E a saudade inunda
E as coisas tomam vida própria por você
Quando a bebida esgota
E a sobriedade volta
Sinceramente não há muito o que fazer

Não há muito o que fazer
Não há muito o que fazer
Não há muito...

E na procura imediata do alívio
Você inverte os papéis desse enredo
E passa a ser de fato o seu próprio inimigo
Reinventando personagem com medo

Quando a dor atormenta
E a freqüência aumenta
Você adia e segue
Foge ao que se ver

Quando você tem medo
Do que reflete o espelho
E já não crê que está fugindo de você

Não há muito o que fazer
Não há muito o que fazer
Não há muito o que fazer
Não há muito o que fazer

Quando a dor atormenta
E a freqüência aumenta
E as coisas tomam vida própria por você
Quando você tem medo
Do que reflete o espelho
E já não crê que está fugindo de você

Não há muito o que fazer
Não há muito o que fazer
Não há muito o que fazer
Não há muito o que fazer
publicidade